Brasil

[Brasil][bsummary]

Ciência e Tecnologia

[Ciência e Tecnologia][list]

anuncie



Paraipaba: Grupo quer retomar em 90 dias obras de resort

Até o momento, foram investidos cerca de R$ 80 milhões no resort, que está com 50% da obra concluídos

 Resultado de imagem para 90 Dias Obras De Resort

Durante a retomada da obra do resort, a previsão é gerar 2 mil empregos. Em relação ao funcionamento, estimado para 2020, serão 700 novos postos de trabalho em Paraipaba, projeta o Grupo Fortal Lisboa
00:00 · 23.03.2017

O grupo Fortal Lisboa quer retomar em 90 dias a obra do Lagoinha Suítes Resort, localizado na cidade de Paraipaba, no Litoral Oeste cearense, após o embargo de sete anos pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama). A informação é do sócio-administrador do grupo, Constantino da Cruz Silva. Até o momento, segundo ele, foram investidos R$ 80 milhões e 50% da obra foram concluídos. Segundo Silva, toda a parte de estrutura física está finalizada, faltando apenas acabamentos.

"Para a finalização do empreendimento, estão estimados aportes de mais R$ 200 milhões, o que incluirá uma bandeira cinco estrelas", disse. A negociação está em fase final de assinatura com uma companhia internacional, garante o empreendedor.

Empregos previstos

Durante a retomada da obra, a previsão é gerar 2 mil empregos. Em relação ao funcionamento, estimado para 2020, serão 700 novos postos de trabalho na região, assegura. Deste total, 70% estão ligados à mão de obra e o restante a profissionais de outros estados e países.

"O desenvolvimento será grande. Avaliamos que no Ceará o clima é bom e existe um mercado na Europa para ocupar o hotel", explicou Constantino Silva. A intenção é trazer 70% de visitantes estrangeiros, especialmente dos Estados Unidos, Inglaterra, França e Itália.

O resort será instalado num espaço de 70 mil m², que já foi construído. A hospedagem será distribuída em 220 quartos com área de 50 m²; 255 apartamentos com 100 m²; e 43 casas de 400m². A área de lazer e serviço ocupará 18 mil m² com piscinas, clube, quadra de tênis, spa, videoteca e sala de congresso.

Desenvolvimento local

Para o secretário de Turismo de Paraipaba, Vasco Robson Cardoso de Araújo, a operação do hotel significa o desenvolvimento econômico na região. "Vale destacar que isso vai gerar emprego para a população local que é formada por pescadores, e esta atividade não está sendo tão explorada", disse.

Por meio de parceria com a Secretaria do Turismo do Estado do Ceará (Setor), Araújo informou que serão desenvolvidos cursos e treinamentos de qualificação, requalificação e aprimoramento da população de Paraipaba para que possam preencher as vagas disponíveis pelo hotel.

Hoje, a cidade tem cerca de 32 mil habitantes que se destinam também à agricultura do coco. Com o resort, o titular da pasta acredita que o fluxo de turistas estrangeiros, principalmente, e nacionais aumente consideravelmente. "Podemos incrementar em dez vezes o turismo diário na cidade", apostou.

Embargo

De acordo com o sócio-administrador da Fortal Lisboa, o embargo aconteceu após pouco mais de dois anos do início das obras. Em 2009, a ação foi pedida pelo Ministério Público Estadual, e o Ministério Público Federal promoveu a ação de embargo. "Obtivemos as licenças e, após a obra já ter começado, o Ibama disse que a área era de preservação ambiental e foi embargado de 2010 até agora", lembrou. Investidores estrangeiros acabaram desanimando neste tempo de processo.

"Tínhamos tudo vendido para um fundo em Luxemburgo. Eles trariam aposentados para passar (temporadas) três meses aqui. Estava tudo aprovado, incluindo o funcionamento de um hospital dentro do empreendimentos, mas isso vamos rever", relatou o empresário.

Licenças

A Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace) disse que o empreendimento passou a constar como peticionário de licença prévia junto à secretaria em 2004. E que a licença prévia é a primeira das três que o empreendimento é obrigado a obter para começar a operar.

Em maio de 2013, o empreendimento obteve a renovação da licença de instalação, esta é a segunda das três exigidas. E, atualmente, tramita na secretaria um novo pedido de renovação de licença de instalação.

"Tem-se conhecimento de embargo promovido pelo Ibama, de que os interessados recorreram do embargo e de que estes interessados ganharam a questão junto ao TRF do Recife (Tribunal Regional Federal da 5ª Região), suspendendo o embargo", informou a Semace.

Suspensão da ação

O TRF5ª declarou que a 4ª Turma deu provimento às apelações, para julgar improcedentes os pedidos deduzidos na Ação Civil Pública 0012325-63.2009.4.05.8100. "Por entender que não havia sido demonstrado dano efetivo ao meio ambiente e que a atuação do Ibama é apenas supletiva e só se justificaria se houvesse inércia do órgão ambiental estadual, o que não foi o caso".

Conclusão

"Para a finalização do resort, estão estimados mais R$ 200 milhões, o que incluirá uma bandeira cinco estrelas"

Constantino da Cruz Silva
Sócio-administrador do grupo Fortal Lisboa


Raimundo Moura

Radialista formado, blogueiro, graduando em serviço social e Conselheiro Tutelar, atualmente apresento o Programa Alerta Geral Vale do Curu pela 91.9 de Pentecoste e colaboro com o Jornal Integração da Atitude FM de Itapajé.

Comente
  • Blogger Comment using Blogger
  • Facebook Comment using Facebook

Nenhum comentário :



Entretenimento

[Entretenimento][grids]

Saúde

[Saúde][bsummary]

Negócios

[Negócios][twocolumns]

Esportes

[Esportes][threecolumns]